Home News Samsung revela tecnologia wearable com toques de IA

Samsung revela tecnologia wearable com toques de IA

26
0


São Francisco –

A Samsung está vestindo seus dispositivos vestíveis com a última moda da tecnologia: inteligência artificial.

A gigante sul-coreana da eletrônica revelou na quarta-feira que tanto seu primeiro smartwatch premium quanto um anel inteligente que anuncia sua entrada em um nicho de mercado incluirão recursos de IA que supostamente ajudarão as pessoas a monitorar e gerenciar sua saúde.

Tanto o Galaxy Watch Ultra, que custa US$ 650, quanto o Galaxy Ring, que custa US$ 400, são extensões de um impulso que a Samsung lançou há seis meses, quando lançou seus primeiros smartphones com tecnologia de IA como atração principal. O smartwatch topo de linha custa o dobro do modelo padrão mais recente da Samsung, o Galaxy Watch 7, que será vendido por US$ 300.

Amarrar a IA aos dispositivos essenciais das pessoas tornou-se uma tendência acelerada. A tecnologia já foi implantada em smartphones fabricados pelo Google e pela Apple que competem com a Samsung e também nos mais recentes computadores pessoais equipados com o software Windows da Microsoft.

A implementação de IA no novo relógio e anel premium da Samsung está estritamente focada na melhoria e manutenção da saúde pessoal – a principal razão pela qual a maioria das pessoas compra tecnologia vestível.

Tanto o relógio quanto o anel da Samsung estão contando com a IA para fazer um trabalho melhor de análise de dados biométricos coletados da pessoa que usa os dispositivos para personalizar avaliações de seu bem-estar por meio de uma “pontuação de energia” que fornecerá classificações em uma escala de um a 100 e também faça recomendações como um preparador físico virtual.

Tal como a Apple planeia fazer com os seus serviços de IA, os novos produtos vestíveis da Samsung irão recolher a maior parte das informações confidenciais nos próprios dispositivos. Mas alguns dados ainda serão processados ​​através de centros de computação remotos com uma “plataforma de segurança multicamadas e de nível de defesa” que a Samsung compara a um Fort Knox virtual, ecoando a promessa da Apple de encurralar qualquer informação pessoal que deva ser processada em um dispositivo em um Fortaleza digital. Mas essas promessas não garantem necessariamente que nunca haverá violações de segurança ou outras falhas que exponham involuntariamente informações pessoais a terceiros.

O telefone premium da Samsung é o mais sofisticado de seus mais recentes dispositivos vestíveis, capaz de executar algumas funções – como sinalizar apneia do sono – que o Galaxy Ring não consegue. Porém, o anel requer recargas menos frequentes, equipado com uma bateria que pode durar de seis a sete dias antes de precisar ser reabastecida.

Mas o smartwatch também está num mercado muito mais concorrido, atualmente liderado pela Apple, que tem intensificado seu foco em recursos de saúde desde que entrou no mercado, há uma década. Mais de 60 milhões de pessoas já usam o aplicativo Samsung Health que funciona em conjunto com seus smartwatches.

Os benefícios para a saúde associados à tecnologia wearable ajudaram a estimular mais pessoas a comprar smartwatches, com as vendas mundiais dos dispositivos a aproximarem-se de cerca de 29 mil milhões de dólares este ano, com base numa previsão da empresa de investigação Gartner Inc. smartwatches sendo usados ​​nos pulsos este ano, com o Gartner prevendo que o volume anual de vendas vendidas aumentará para 195 milhões em 2028.

É provável que a Samsung enfrente mais desafios no mercado de anéis inteligentes, embora não enfrente muita concorrência até agora. O segmento foi moldado por startups como Oura e RingConn que não fizeram uma diferença significativa até agora.

“Os anéis inteligentes ainda são uma categoria emergente, sem casos de uso exclusivos, com poucas expectativas de crescimento além de um nicho de mercado” até 2028, disse o Gartner em sua recente visão geral do mercado de tecnologia vestível.

A empresa espera que um pequeno segmento que inclui anéis inteligentes gere 2,4 mil milhões de dólares em vendas este ano e eventualmente aumente para cerca de 4,6 mil milhões de dólares em 2028.

Embora venha em nove tamanhos diferentes, o Galaxy Ring da Samsung só cabe em um tipo de software – o sistema operacional Android do Google. Isso exclui os consumidores mais abastados que possuem iPhones e muitas vezes estão interessados ​​em testar novas formas de tecnologia, como o Galaxy Ring.

A Samsung também está lançando sua mais recente tentativa de atrair mais pessoas para que comprem um telefone dobrável equipado com duas telas que podem ser articuladas para que o dispositivo possa ser transformado em um pseudo-tablet. É um conceito que a Samsung vem promovendo desde 2019 com sucesso mínimo, mas a empresa continua a atualizar o dispositivo com câmera e recursos de IA para alimentar o nicho de mercado. O modelo de próxima geração, o Galaxy Z Fold 6, será vendido por US$ 1.900.

Entretanto, os trabalhadores sindicalizados na Coreia do Sul declararam uma greve por tempo indeterminado para pressionar a Samsung a aceitar os seus apelos por salários mais elevados e outros benefícios. Milhares de membros do Sindicato Nacional de Eletrônicos Samsung lançaram uma greve temporária de três dias na segunda-feira. Mas o sindicato disse na quarta-feira que estava anunciando uma greve por tempo indeterminado, acusando a administração de não estar disposta a negociar.

A Samsung afirma que não houve interrupções na produção.



Source link